HALLOWEEN – UMA FESTA PAGÃ (SATÂNICA)

outubro 29, 2013 // Artigos, Estudos

Por: Pr. Nélson R. Gouvêa

Gaste alguns minutos lendo essa mensagem, pois o assunto é muito sério!

“As imagens de escultura de seus deuses queimarás a fogo; a prata e o ouro que estão sobre elas não cobiçarás, nem os tomarás para ti, para que não te enlaces neles; pois abominação é ao Senhor teu Deus. Não porás, pois, abominação em tua casa, para que não sejas anátema, assim como ela; de todo a detestarás, e de todo a abominarás, porque anátema é.” Deuteronômio 7:25-26.

“O Meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu Te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de Mim; e, visto que te esqueceste da Lei do teu Deus, também Eu me esquecerei de teus filhos.” Oséias 4:6.

“Mas que digo? Que o ídolo é alguma coisa? Ou que o sacrificado ao ídolo é alguma coisa? Antes digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios, e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios. Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. Ou irritaremos o Senhor? Somos nós mais fortes do que Ele? Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam.” 1 Coríntios 10:19-23.

“Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” 2 Coríntios 6:14.

“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.” Filipensens 4:8.

“Halloween”, ou dia das bruxas, é uma contração da expressão “Hallow Evening” (consagrar noite), que significa véspera do Dia de Todos os Santos. Rapidamente se conclui que o termo “Dia das bruxas” não é utilizado pelos povos de língua inglesa, sendo essa uma designação apenas dos povos de língua (oficial) portuguesa. Esta celebração acontece nos Estados Unidos, porém é uma comemoração bem difundida e está presente também no Brasil.

Uma das lendas sobre essa festa tem origem celta e fala que os espíritos das pessoas que morreram no ano anterior voltam nesta data à procura de corpos vivos para possuir e usar pelo próximo ano. Os cel­tas acreditavam ser esta a única chance de vida após a morte. Como os vivos não queriam ser possuídos, na noite de 31 de outubro eles apagavam as tochas e fogueiras de suas casas, para que elas se tornassem frias, colocavam fantasias de monstros e saíam às ruas para assustar os espíritos.

31 de outubro é o dia mais importante no ano satânico. Marca o ano novo Celta, neste dia, realizavam cerimônias de adoração ao “deus da morte” ou ao”senhor da morte”. Isso acontecia na cerimônia “Samhain” durante o festival de inverno, na qual eram oferecidos sacrifícios humanos.

Em 31 de Outubro, os druidas iam de casa em casa exigir determinados alimentos, e todo aqueles que recusassem doar eram amaldiçoados.

31 de Outubro é a noite que os Satanistas e ocultistas do mundo reservam para a dar a maior honra a Satanás e a orar para a queda da igreja de Jesus Cristo e a destruição das famílias. É a noite do sacrifício humano a Satanás. É o dia mais importante na vida de um Satanista. Não é uma comemoração inocente!!

O que acontece hoje com esta celebração moderna de Halloween? Existem monstros, corujas, fantasmas, cabo de vassouras, etc. As crianças são vestidas como demônios, bruxas, fantasmas, monstros e saem para fora, nas ruas na escuridão e refazem a prática pagã, exigindo alimento dos povos sob a ameaça dos truques se não cooperar.

Mesmo que hoje em dia Halloween seja comemorado de uma maneira inocente por muitos jovens, ele é levado a sério pela maioria das bruxas, membros do movimento neo-pagão e ocultistas em geral.

Devemos com toda certeza nos mobilizar no sentido de passar estas informações para os nossos filhos. Lembrando que os colégios estão se mobilizando para comemorar esta data sob a alegação de ser uma festa inocente, porém espiritualmente falando isto é trágico, pois devemos honrar o Senhor Jesus e não satanás. Qualquer manifestação que vise desonrar o nome de Deus deve ser coibido. Os conselhos de classes de alguns colégios estão reunidos nestes dias que antecedem a esta festa pagã. É preciso que a sua voz seja ouvida. Se não é importante que seus filhos não participem.

Em casa também deve-se evitar qualquer brincadeira nesta direção. Devemos interagir com nossos filhos mostrando-lhes a origem deste acontecimento.

Que Deus nos dê sabedoria e discernimento para nos posicionar contra esta festa ocultista e satânica.

Deus abençoe nossas famílias…

Em Cristo Jesus,

Pr. Nélson R. Gouvêa

Msg enviada por Myriam Alves F. De Santis – IPB Central de Barretos /SP.

 

HALLOWEEN, UMA FESTA PAGÃ (SATÂNICA)

Os maiores índices de vendas de doces e balas nos EUA e Europa ocorre na época do halloween. Esta festa teve início no culto pagão realizado por sacerdotes druídas. Eles faziam sacrifícios humanos inclusive com crianças. Crê-se que tais sacrifícios são feitos ainda hoje, prova disso é a preocupação das autoridades dos EUA com o alto índice de crianças desaparecidas nesta época.

Estranhas brincadeiras

Há uma prática no halloween americano chamada “fogueira de ossos”, onde uma fogueira fica acesa toda a noite queimando ossos até tornarem-se cinza. A crença druída, rezava que, na noite de 31 de outubro os mortos da família se levantavam e visitavam a casa dos parentes. Se ao chegarem não houvessem guloseimas e manjares preparados para eles, satanás visitaria aquela casa.

Hoje vemos as crianças de casa em casa pedindo doces, fazendo papel de criatura das trevas. E cada vez que falam “treats or tricks?” – “Oferenda ou Travessura?” – estão proferindo “Ou você me dá um doce, ou te amaldiçôo”. Mas para eles tudo não passa de uma brincadeira.

A abóbora com um rosto esculpido e uma vela dentro tinha o sentido de iluminar o caminho quando andavam pela floresta durante a noite e simbolizava o espírito de um morto do qual recebiam poder – Joquio. Com o tempo o tal espírito passou a ser chamado de “Jack”.

Nas cerimônias, ou festas, pagãs que druídas realizavam nas florestas, eram oferecidos sacrifícios de animais e crianças, e culminava com orgias sexuais. Semelhantemente aos bailes e festas de hoje em dia, muitas delas caracterizadas pelos símbolos do halloween, onde muitos encontros terminam em quartos de hotéis.

O halloween é uma festa pagã, satânica

Pessoas que deixaram o satanismo contam que para o satanista há 3 datas mais importantes no ano:

1º – o aniversário deles próprios;

2º – 30 de Abril – antiga data do Dia de Finados (hoje 02/11);

3º – 31 de Outubro – halloween. Por que será?

O que a Bíblia diz sobre o paganismo

No Antigo Testamento a ira de Deus manifestou-se com vigor contra tais práticas. E o alerta de Deus é veemente quanto ao que os aguarda na eternidade, se não se arrependerem.

“A feiticeira não deixarás viver. (…) Quem sacrificar aos deuses e não somente ao Senhor será destruído.” Exôdo 22:18-20.

“Não se achará entre ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos, pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor…” Deuteronômio 18:10-12.

“Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte (morte eterna).” Apocalipse 21:8.

Halloween cristão, será possível?

Todo ano, em outubro, milhões de pais cristãos professos aprovam enviar seus pequenos para as ruas vestidos de duendes, bruxas, fantasmas e até diabos, em um ritual de “travessuras ou guloseimas”. Será que este costume é apenas uma noite de inofensivo divertimento e tolice? O que está exatamente, envolvido neste festival? Sobretudo, como deve, um verdadeiro adorador do Deus eterno, encarar estes costumes? Que orientações podemos encontrar na Bíblia para nos ajudar a saber o que o próprio Deus pensa sobre isto?

Muito do que acontece no halloween evidentemente é encarado como algo inofensivo. Quando os jovens profanam edifícios, quebram janelas, furam pneus, etc., a maioria deve concordar que é algo muito prejudicial e degradante. Mas que dizer sobre o costume popular do “travessura ou guloseimas”? É algo inocente como tantos pais pensam? Para compreender a resposta a esta pergunta, nós devemos primeiramente compreender de onde este festival veio e porque era celebrada originalmente.

Como já vimos, a celebração do halloween já era praticada pelos pagãos há muito tempo com um significado notoriamente macabro.

No livro “Halloween Através dos Séculos” (Ralph Linton, pg.4), nós encontramos: “O mais antigo halloween foi celebrado pelos druidas em honra a Samhain, “senhor dos mortos”, cuja festa caía em 1º de novembro.”

Na Enciclopédia Britânica (11º ed., Vol. XII, pg. 857-858) lemos: “Era crença druida que na noite deste festival Saman, ‘senhor da morte’, chamava para junto de si os espíritos malignos que tinham sido condenados a habitar os corpos dos animais nos últimos 12 meses.”

O primeiro dia de novembro foi considerado por muitos povos antigos do norte, como sendo o começo de um ano novo. Neste tempo, quando as folhas estavam caindo e quase toda a folhagem das árvores estava desaparecendo, acreditava-se que as almas dos mortos retornavam aos seus lares. Se estes espíritos não encontrassem o alimento e abrigo apropriados ou fossem ofendidos com o que encontravam, a maldição do demônio viria sobre as cidades, vilas, etc. Sacrifícios eram oferecidos aos mortos nestas ocasiões em várias regiões. Este dia foi chamado de “noite de todas as almas”. Naqueles dias, o 1º de novembro iniciava-se no pôr-do-sol, correspondendo assim ao cair da noite do nosso atual 31 de outubro.

O dia de todas as almas

O costume de comemorar o “dia de todas as almas” pode ser encontrado por todo o mundo. O “Dicionário Padrão de Folclore, Mitologia e Lenda” nos diz: “Essencialmente,‘todas as almas’ é a adaptação de um costume de abrangência quase mundial de se reservar uma parte do ano (geralmente a última parte) para os mortos. Os babilônicos observavam uma festa mensal de Todas as Almas em que sacrifícios eram feitos por sacerdotes.”

No “Folclore”, por James Napier (pag. 11) nós lemos: “Havia uma opinião geral entre todas as nações de que, na morte, as almas de homens bons eram possuídas por espíritos bons e carregadas ao paraíso; mas as almas de homens maus eram deixadas para vaguear no espaço entre a terra e a lua, ou entregues ao mundo espiritual. Estes espíritos vagantes tinham o hábito de assombrar os vivos… Mas havia meios pelos quais estes fantasmas poderiam ser exorcizados.” Esta satisfação poderia ser proporcionada através de presentes e alimento que poderiam ser preparados e oferecidos para eles. O abrigo também deveria ser providenciado para estas almas. De acordo com estas superstições, se você satisfizesse estes espíritos, eles não o incomodariam; entretanto, se não fossem satisfeitos, as maldições do demônio recairiam sobre você. A mesma doutrina é observada em nosso país nos cultos afros (pagãos) onde fazem despachos com alimentos para satisfazer os espíritos.

“Os Astecas do México acreditavam que as almas dos mortos voltavam no décimo segundo mês do ano, que corresponde a nosso novembro. Neste ‘dia de todas as almas’ as casas eram enfeitadas por fora para dar boas-vindas aos espíritos. Vasilhas de comida e bebida eram preparadas numa mesa no cômodo principal, e a família saia com tochas para encontrar-se com os espíritos e convidá-los a entrar. Então, retornando à casa eles se ajoelhavam ao redor da mesa e curvados, rezavam para as almas aceitarem suas ofertas” (Adonis, Frazer, p. 244).

Assim, por todo antigo mundo pagão, nós encontramos um padrão similar para apaziguar ou fazer ofertas e presentes aos espíritos de mortos. Naturalmente, há diferenças nos métodos, mas a mesmo propósito prevalece em todos.

O ponto de vista de Deus

Neste momento, nós podemos notar que o Deus verdadeiro, Javé (Yahweh), tinha dito ao seu povo para não imitar aos povos pagãos:

“Não aprendais o caminho dos gentios.” Jeremias 10:2.

Deus tinha lhes dito outra vez:

“Não vos voltareis para os necromantes, nem para os adivinhos; não os procureis para serdes contaminados por eles.” Levítico 19:31.

Os escritos Hebreus nos dizem muito objetivamente:

“…os mortos não sabem coisa nenhuma…” Eclesiastes 9:5.

Não podem voltar e assombrar a vida.

“A alma que pecar, essa morrerá.” Ezequiel 18:4.

Depois que Cristo veio, seus discípulos, também foram advertidos quanto a imitarem as religiões pagãs.

“Antes, digo que o que eles sacrificam, é a demônios que as sacrificam e não a Deus; e eu não quero que vos torneis associados aos demônios. Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios.” 1 Coríntios 10:20-21.

Os primeiros discípulos se recusaram a participar dos rituais pagãos realizados para os mortos. Mas algo aconteceu depois que os apóstolos morreram. Enquanto os primeiros discípulos foram mortos ou morreram, os discípulos gentios caíram afastados da verdadeira adoração. Estes apóstatas começaram a fazer exatamente o oposto do que as escrituras diziam. Adotaram os caminhos dos pagãos. O predito afastamento da verdadeira adoração corrompeu a igreja cristã e sobreveio a chamada “Era das Trevas” onde o paganismo disfarçado infiltrou-se nos costumes dos cristãos, e a igreja foi perdendo a sua identidade, mas Deus preservou o seu povo remanescente e fiel. Mat. 7:22,23; II Pe. 2:1; Atos 20:29,30.

A falsa adoração infiltrou-se na cristandade popular através do romanismo

Aproximadamente no ano 100 A.D., o imperador Hadrian construiu um templo para honrar o deus pagão Cybele e outros deuses e divindades romanos. Este templo foi chamado o Pantheon. O Romanos usavam este templo também para honrar seus mortos. Mais tarde, a igreja romana que professava Cristo, tomou conta deste templo. Destruíram suas abominações? Não. Ao invés disto, eles adotaram os caminhos dos romanos pagãos, apenas agora eles usam o templo para rezar para a vigem Maria e outros santos proclamados. Treze de maio foi escolhido como um dia especial de oração para as almas dos santos, que se acreditava estarem sofrendo no “purgatório”. Este dia foi chamado “dia de todos os santos” (all saints day).

Em 834 A.D., a data para esta celebração foi mudada para 1º de novembro. O nome do celebração também foi mudada. É chamada agora de “todos os santos” (all hallow), significando “todo santo” (all holy). “Een” foi adicionado mais tarde como uma contração de “evening” (noite), assim produzindo o termo familiar “halloween”, significando “a noite santa”.

Não foi nenhum acidente a igreja romana ter escolhido a data de 1º de novembro. Como já mencionamos, era nesta data que os druidas da Inglaterra, os nórdicos da Escandinávia, e os alemães pagãos mantiveram seu festival “a noite de todas as almas”. Haviam se tornado “cristãos” no nome, mas aderiram (ou mantiveram) os costumes pagãos. A fim de acomodar esta situação, a igreja romana decidiu apenas adotar os caminhos pagãos e chamá-los de “cristãos”. Às várias divindades para as quais os pagãos rezavam foram dados nomes de santos da igreja. Pensou-se que fazendo isto os costumes pagãos dos povos poderiam ser pronunciados limpos. Entretanto, os povos no geral eram ainda pagãos no coração, ss sentimentos da adoração pagã permaneceram. Foi apenas chamado de “cristão”.

Esta influência pagã tem diminuído em nossos dias? Note isto: “Em muitos países Católicos a crença de que os mortos retornam neste dia é tão forte que é deixado alimento nas mesas (Tirol, Itália) e as pessoas (França, Itália, Alemanha) ainda decoram os túmulos dos mortos” (“Dicionário Padrão de Folclore, Mitologia e Lenda…” Vol. I, pag. 38). A influência destas crenças pode ser vista em praticamente todas as nações por toda a Terra, hoje em dia, quer sejam cristãos professos ou religiões pagãs.

“Atualmente muitas pessoas têm também suas festividades nas quais dão presentes e fazem oferendas aos mortos. No novo ano chinês, você deverá encontrar muitos budistas chineses oferecendo presentes e alimento, roupas e dinheiro, queimando-os aos mortos. Supostamente, estes presentes iriam ajudar os mortos na sua jornada.

No Oriente Médio os festivais da morte incluem reuniões familiares e refeições cerimoniais nos túmulos dos ancestrais.

Mexicanos guardam o dia 2 de novembro como o “dia del muertos” (dia dos mortos) com celebrações em cemitérios, feitas de forma colorida, através do oferecimento de flores, comidas em potes de barro, brinquedos e presentes, além de queimarem velas e incensos.” Nova Enciclopédia dos Temerosos e Gaiatos, Edição 1986 , Vol. 10, pag. 146.

E quanto aos dias de hoje?

Pode uma pessoa que quer agradar a Deus prestar seu tempo e apoio a tal celebração? Pode esta pessoa permitir que suas crianças participem das atividades populares associadas a este festival pagão? Onde está a ênfase deste dia? Está em desenvolver o fruto do Espírito ou intenta em desenvolver um espírito de “prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias”, etc.? (Gl. 5:19-23). Esta festa promove o amor do Deus Yahweh e de seu Filho, Jesus, ou demônios, bruxos e uma multidão de outras atividades que são diretamente condenadas pela Bíblia?

O cristão deve atentar com temos às palavras citadas em Apocalipse 18:2-4:

“Caiu, caiu a Grande Babilônia e se tornou morada de demônios covil de toda espécie de espírito imundo e esconderijo de toda espécie de ave imunda e detestável. Todas as nações tem bebido do vinho e do furor da sua prostituição. Com ela se prostituíram todos os reis da terra. Também os mercadores da terra se enriqueceram às custas da sua luxúria. Ouvi outra voz do céu, dizendo: Retirai-vos dela, povo meu, para não serdes cúmplices em seus pecados e para não participardes dos seus flagelos.”

Frutos do halloween

Os frutos da mentalidade “trick-or-treat” (“travessura ou guloseima” ou “maldição ou oferenda”) tem sido induzir a uma atitude egoísta. A ameaça de uma travessura, a menos que uma oferenda seja recebida remonta a um suborno, a respeito do qual a escritura diz:

“… o suborno corrompe o coração” (Eclesiastes 7:7).

As crianças aprendem que participar de suborno, em certas circunstâncias, é considerado legal e sancionado pelos pais, escolas e igreja populares. A luxúria é oferecida e encorajada a medida que as crianças saem para obter tanto despojo quanto puderem. Inveja e orgulho são colocados a medida que as crianças comparam sua pilhagem, depois de uma noite de suborno.

Mas há outra deturpação: a criança que participa do “trick-or-treat” atualmente faz o papel do espírito, diabo, fantasma, duende, ou morto que deverá voltar para importunar os vivos se não lhe derem o que ele quer. A oferenda feita a estes, diz a Bíblia, estão sendo feitas, na realidade, à demônios (1 Co 10:20).

Outras características e influências da “festa”

Uma das mais notáveis características que temos visto é a ganância, a atitude “eu quero”, que está diretamente em oposição aos princípios Bíblicos (Pv. 15:27).

“Fazei pois morrer a vossa natureza terrena prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno, e a avareza, que é idolatria”. Cl 3:5.

“…os céus que agora existem e a terra tem sido entesourados para o fogo, estando reservados para o Dia do Juízo e destruição dos homens ímpios” – 2 Pe 3:7.

“Sabei pois isto: nenhum…avarento, que é idólatra, tem herança no reino de Deus.” Ef 5:5.

Mas, ainda pior, o costume “trick-or-treat”, atualmente promove violência através da ameaça de uma travessura, se a desejada oferenda não for obtida. Tanto é verdade que uma quantidade muito pequena de crianças, hoje em dia, vão em frente com sua ameaça de “travessura” quando não recebem nada, contudo é impresso em suas mentes que eles estão se impondo a famílias e indivíduos que sentem-se “obrigados” pelo costume a dar a exigência deles, uma “oferenda”. E, por outro lado, muitas crianças que saem para arrecadar doces e guloseimas, pregam peças prejudiciais na época do halloween (Pv. 10:23). Enquanto a maioria destas “peças” são pequenos aborrecimentos, outras freqüentemente consistem em uma ameaça para os alvos individuais destas “travessuras”.

Além disso, o halloween tem mascarado “festas” que dão crescimento a muitos atos de obscenidade, com palavras vulgares e até embriagues e prostituição. O espírito mundano, trabalhando com a carne e com as tentações apresentadas pelo mundo o por satanás, presidem tais eventos, até se estes eventos forem realizados exclusivamente por aqueles que se dizem “cristãos”. Um crente instruído não deve favorecer tais costumes.

O uso de máscaras em tempos antigos foi também para assustar ou tapear os espíritos dos mortos, para que eles não pudessem prejudicar quem as usava. Assim, muitos orientais usavam uma grotesca máscara no dia de ano novo para repelir espíritos demoníacos. Tal indulgência à idolatria não está, certamente, em harmonia com a Palavra de Deus.

Está claro que os frutos produzidos pelo festival do halloween não são as obras do Espírito de Deus, mas as da carne e das trevas (Gl. 5:19-23). O inimigo tem suas estratégias para encontrar uma forma de doutrinar as pessoas a crerem que o certo é errado e o errado é certo.

“Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios escolhidos.” Mateus 24:24.

“Porque tais são falsos apóstolos, obreiros fraudulentos, transformando-se em apóstolos de Cristo. E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz.” 2 Coríntios 11:13-14.

“E foi expulso o … diabo e satanás, o sedutor de todo o mundo…” Apocalipse 12:9.

“Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal; que fazem da escuridão, luz e da luz, escuridão; põe o amargo por doce e o doce por amargo.” Isaías 5:20.

Uma forma usada para atrair as pessoas é através de diversão e prazeres.

“A estultícia dos insensatos é enganadora. Os loucos zombam do pecado…” Pv 14:8,9; 15:21; Is 56:12. O diabo se faz parecer agradável, inofensivo, “um anjo de luz” (2 Co 11:14) e ao mesmo tempo faz do verdadeiro Deus, Javé (Yahweh) e seu Filho, Jesus Cristo, parecerem desmancha-prazeres, opostos a diversão (Gn. 3:4,5) e seus verdadeiros seguidores loucos e fanáticos (Jo 8:44; Pv10:22).

“Ó provai e vede que o Senhor é bom.” Sl 34:8.

“Feliz daquele que guarda as suas prescrições e o busca de todo o coração.” Sl 119:2.

O inimigo de Deus usará pressão, escolas, nossa família e até igrejas populares a fim de manter o povo de Deus percorrendo seus enganosos caminhos. “O tolo posto em grandes alturas…” (Ec 10:6) O verdadeiro povo de Deus deve se opor a satanás e às suas obras, não importa quão inocentemente ele se apresente. “Sujeitai-vos, portanto, a Deus, mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” (Tg 4:7; Ef 4:27; 1 Pe 5:8,9).

E se você for um jovem adorador do Deus vivo, e só agora percebeu que o halloween é uma das obras do demônio? Você estaria disposto a se posicionar contra a pressão dos seus colegas de classe e outros que possam ficar falando para você que é isso é puro divertimento, que não há mal algum nisso, etc.? Você se desviaria da idolatria da gula e exaltação de satanás e dos demônios representados nas máscaras, da “lanterna de jack”, etc.? 1 Jo 5:21; 2 Co 6:16.

Quando a noite de halloween chegar, o que você vai fazer? Você vai se sentar sozinho em casa naquela noite, pensando que você poderia estar com os outros que estão lá fora coletando guloseimas ou participando de uma festa, fantasiado e mascarado? Todavia, você dever controlar seu pensamento. Afugente este tipo de pensamento, fazendo planos para a noite de halloween, assim você estará ocupado fazendo alguma coisa, preferivelmente algo na obra do Senhor (1 Co 3:13).

Seus pensamentos podem deixá-lo feliz ou triste. Você pode pensar que está “perdendo” alguma coisa, ou você pode colocar os princípios bíblicos para trabalharem na sua vida. Isto irá fazê-lo muito mais feliz do que as banalidades do mundo.

“Tudo o que é verdadeiro, honesto, justo, puro, amável, se alguma virtude há e se algum louvor existe, nisto pensai.” Isto pode ser difícil, porque é natural querer continuar se comportando e fazendo o que os outros estão fazendo. Mas, não é mais importante pertencer a Deus e a Jesus do que aos amigos do mundo?

“Não tenhas inveja dos homens malignos, nem queiras estar com eles, porque o seu coração maquina violência e os seus lábios falam para o mal.” Provérbios 24:1-2.

O conselho das Escrituras é ainda mais aplicável hoje do que nos dias dos apóstolos: “Andai no amor, como também Cristo nos amou e se entregou por nós, como oferta e sacrifício a Deus em aroma suave. Mas a impudicícia e toda sorte de impurezas ou cobiça nem sequer se nomeie entre vós, como convém a santos; nem conversação torpe, nem palavras vãs, nem chocarrices, coisas essas inconvenientes; antes, pelo contrário, ações de graças. Sabei pois, isto: nenhum incontinente, ou impuro, ou avarento, que é idólatra, tem herança no reino de Deus. Ninguém vos engane com palavras vãs porque, por essas coisas, vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Portanto, não sejais participantes com eles.” Ef 5:2-7.

Por que não tentar ajudar seus amigos a ver a importância de obedecer a Deus, assim como receber a sua graça quando ele executar o julgamento no dia da sua ira? (Sf 2:3; Sl 73:24-28) Partilhe os conhecimentos que agora você tem. Sabemos que isso trará bênção para você e para os outros.

Razões pelas quais os cristãos não devem celebrar o halloween

Muitos em nossa sociedade secular acreditam que o halloween é nada mais que um festival inofensivo que permite que as crianças coletem doces. Mas será mesmo? Como vimos a origem desta mentira está profundamente enraizada no oculto e os cristãos devem se manter longe. Aqui há bons motivos para isso:

- Trinta e um de outubro é, em muitos lugares, conhecido como “o festival da morte”. As tribos celtas e os druidas celebravam este dia como o criador da transformação da vida em morte. Hoje o halloween é, comumente celebrado por adeptos da bruxaria que usam a noite para seus rituais.

- Os bruxos celebram o halloween como “a festa de samhain”, a primeira festa do calendário bruxo. Sendo um festival da morte, halloween é uma época que os feiticeiros tentam se comunicar com os mortos através de diversas rituais e feitiçarias.

- Os cristãos não devem se envolver com práticas ocultistas ou adivinhações. Atente para o mandamento do Senhor contra adivinhações em Deuteronômio 18.

- Os ocultistas crêem que halloween é um período de transição entre a vida e a morte. Alguns ocultistas praticam adivinhação e acreditam que podem aprender os segredos da vida e da sabedoria, deitando-se sobre um túmulo e ouvindo as mensagens do defunto.

- Ocultistas também ensinam que espíritos e fantasmas deixam a sepultura durante a noite e se escondem calorosamente em seus antigos lares. Aldeões, temendo a possibilidade de serem visitados pelas almas dos antigos moradores, fantasiavam-se para amedrontarem os espíritos em seu caminho. Eles também deixavam comida e outras oferendas na estrada. Esta é a real razão pela qual as crianças se vestem com fantasias e vão de porta-em-porta procurando por guloseimas.

- Os ocultistas também tentavam espantar os espíritos esculpindo um rosto assustador numa abóbora-moranga. Esta visão horrorosa moveria o espírito para outro lar ou vila e livraria aquela casa da destruição. Algumas vezes os aldeões acediam uma vela e colocavam junto à abóbora, usando-a como lanterna (daí o nome “lanterna de jack”). Esta é a origem de se esculpir abóboras no halloween.

- Em algumas convenções de bruxaria, o ritual de encerramento incluía espedaçar (catting) uma maçã ou comprometer-se com ritos de fertilidade. Para ele, espedaçar uma maçã é o símbolo de trazer vida. A prática de pendurar (balançar) uma maçã traz duas tradições pagãs: adivinhação e ritual de fertilidade.

- As escolas estão tirando todo significado religioso do Natal (freqüentemente chamado recesso de inverno) e da Páscoa, chamada feriado de primavera. Não é irônico que a maioria das escolas públicas ainda celebram o halloween, apesar de tão ocultas origens?

- Cristãos devem se esquivar do halloween e desenvolver alternativas criativas. As igrejas poderiam por exemplo, celebrar o Dia da Reforma Protestante (também no dia 31 de outubro). Não devemos, como cristãos, apoiar nem promover o halloween.

Extraído e adaptado.

Veja também: A VERDADE SOBRE O HALLOWEEN.

SOLI DEO GLORIA!!!

Comentários

  1. cleusa jorge morgon says: 31 de outubro de 2012

    Artigo bem esclarecedor. Graça e paz.

  2. tiago says: 15 de março de 2013

    muito bom! continue assim.

  3. tiago G.M.S says: 15 de março de 2013

    excelente não deixe com que pessoas ateias e atoa fazem comentários maldosos aqui no seu blog.

  4. CIDA NERYS says: 20 de setembro de 2013

    QUE DEUS O SENHOR ILUMINE MENTE PRINCIPALMENTE DOS PAIS, EM PROTEGER A GERAÇÃO DOS SEUS FILHOS.

Deixe um comentário